segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Um pedido de desculpas

Ontem fizemos um breve passeio.
Ana corre pra cá e pra lá e de repente furou o dedinho no espinho de uma planta.
Chororô na certa e com o soluço o pai não conseguia entender o que havia acontecido.
O pai deu um grito com ela e pronto, mais chororô.
Quando ela chegou até a mim, chorava muito.
Eu percebi o que havia acontecido, mas o choro era muito sentido, para ser 'só' por conta do dodói no dedo.
Coloquei ela sentada no meu colo e a investigação começou ;)
Até que ela me disse com os olhos cheios de lágrima: O meu pai não entendeu o que aconteceu comigo, não precisava gritar, mas ele gritou comigo e me deixou muito triste. 
Ela chorava compulsivamente, um choro sofrido.
Acabou comigo, mas aqui em casa não chamamos a atenção um do outro na frente das crianças. Jamais!

Ela ficou tão sentida que foi para o colo da minha irmã e dormiu.
Depois de um tempo conversei com o pai com aquele jeitinho para deixar claro que não o estava criticando (e não estava mesmo). Ele também sentiu-se movido pelo ocorrido e logo abateu-se.

Chegamos em casa, e da cozinha ouvi a conversa dos dois e chorei, né?

O pai: Filha sabia que eu te amo muito?
Ana: Sabia papai.
O pai: Papai gritou com você mas gostaria de te pedir desculpas. 
Ana: Tudo bem papai você não entendeu o que eu estava falando, só isso, né?
O pai: É filha. Me desculpe, eu te amo muito.
Ana: Eu também pai.


10 comentários:

  1. Ahhhh Nathi. Até eu fiquei com os olhos cheios d'agia. Tadinha da Aninha... aqui tb aconteceu uma vez da Beatriz chegar em casa com um potinho de purpurina e a gente perguntou quem tinha dado. Ela respondeu q tinha sido a Tia F., por acaso encontramos a Tia B. na rua e ela disse q não sabia... aaaaaaffff Nathi! Eu a repreendi, a avó tb e o pai brigou. Ela não se defendeu tadinha... a nossa obrigação era ter acreditado nela. No dia seguinte fui leva-la mlna escola e a Tia F. disse q tinha dado a purpurina... o meu coração se partiu em mil pedaços :( chorei muito por não ter acreditado nela, logo eu q ensino q não tem problema pode mentir, não acreditei nela qdo ela "precisou". Até hj sofro qdo lembro disso... claro q todos pediram desculpas pra ela e eu pedi encarecidamente as professoras q sempre q elas ou algum amigo desse algo a Beatriz, q fosse avisado na agenda pra q isso nao acontecesse de novo.

    Bjo, bjo, bjooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que dó Beth! Mas os adultos também erram, não é?
      Mas eu também sei que nosso coração fica despedaçado.
      Ainda bem que o coração de criança é puro e perdoador incondicional!
      Beijinhos na Bia e em vocês.

      Excluir
  2. Que dózinha! Que bom que ela e o papai se entenderam logo =)
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É eu fiquei muito feliz com esse momento Nanda! Beijinhos***

      Excluir
  3. Ai Nathy sabe que lendo o dialogo dos dois até eu chorei aqui.rs

    Bjinhos

    carla e Miguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlinha que bom te ver por aqui!!!
      Eu chorei mesmo...
      Foi um pedido muito especial e a Aninha recebeu com muito carinho!
      Beijo*

      Excluir
  4. A reconciliação é sempre emocionante. Esse pedido de desculpa acalmou o coraçãozinho da Aninha com certeza e a compreensão dela acalmou tb o coração do Papai...
    beijos,
    Val e Gui

    ResponderExcluir
  5. Tem razão Val, a reconciliação é algo muito emocionante!
    Todos nós erramos, não é?
    Beijos pra ti e para o Gui.

    ResponderExcluir
  6. Ai, imagino a dor desse papai. Da uma dor imensa quando a gente machuca eles assim sem querer.
    Ainda bem que tudo acabou com muito amor declarado.
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ahhhhhhhhhhh...lindo demais!!!!
    As vezes a gente perde a linha linha...mas eles não conseguem entender, afinal, são crianças...tem que voltar e se desculpar pq eles ficam sentidos mesmo@!

    Bjs...

    ResponderExcluir